domingo, 7 de junho de 2015

"O que um homem precisa ou não." Parte1: Não babar

A lista é grande e se formou com base nas minhas pesquisas e espiações.
Sou uma curiosa que adora histórias.
Portanto sempre fico atenta quando minhas amigas contam suas aventuras, bem sucedidas ou não. E sempre dou um jeitinho de espiar os casais por aí.
Este post não vai incluir toda a lista. Este será só um começo. Baseado no começo das minhas anotações.
Meu começo foi um pouco ousado.

Estava em um restaurante chique e vi uma mulher de seus 30 anos com um homem bem mais velho. Não sei quantos anos ele tinha. Talvez quase 60.
Só sei que ele parecia ter bom papo, pinta de inteligente e postura bem sucedida. Porém os lábios, os lábios eram bem moles. Não moles como naturalmente são. Mas muito moles. A ponto de não segurar a saliva dentro da boca.
É. isso mesmo. Ele babava um pouco.
E no restaurante tinha toalha na mesa, mas não guardanapo. 
Urgentemente a mulher solicitou ao garçom. Acho que a vontade dela era pedir o rolo de papel toalha. Mas ficaria muito deselegante.
O garçom demorou pra trazer o guardanapo. Portanto ela teve de usar por um bom tempo as costas da mão, que discretamente enxugava a baba. Após o enxuga-enxuga, ela se colocava em uma pose de "está tudo normal, calmo e seco". Mas ao longe vi, que após cada beijo babado, ela já não sabendo o que fazer, secava a mão na toalha da mesa. 
Nojento, mas consegui entender o desespero da coitada.
Quando eu era adolescente tive um ficante que beijava babando. No caso dele era mais uma falta de mira de iniciante do que outra coisa. Vinha beijando minha bochecha com língua e não fazia isso na boca, então eu brincava contando às minhas amigas da vontade em gritar com ele: "Diego, aqui ó!", mostrando o centro da minha boca e não na bochecha, ou já quase na orelha.
Vamos combinar que saliva é bom e útil no lugar e dose certa. Nada mal usar a saliva para dar uma umidificada nas partes. Mas babão não, né!
"Porfa não babar".





Nenhum comentário:

Postar um comentário